Um casal encontra-se detido no Comando Distrital da Polícia da República de Moçambique (PRM), no distrito de Vanduzi, província de Manica, acusado de tirar a vida ao próprio filho com recurso à catana e ainda queimar o corpo.

Segundo os indiciados, tudo começou quando eles decidem entrar para o ano novo de 2021 levando uma vida diferente, enriquecidos através da “magia negra”.

Feito o plano, o casal contactou um curandeiro que procedeu com o devido ritual, tendo aconselhado que no regresso deviam ir directamente para casa. Todavia, o casal vez ouvidos de mercador, ignorou as recomendações e passou pela machamba, onde pernoitou.

Sucede que na calada da noite, segundo contam o homem e mulher, o filho que estava na sua companhia começou a ser possuído por um mau espírito. Na tentativa de defendê-lo, desferiram nele golpes com recurso a uma catana, até que o miúdo não resistiu e morreu.

“Vi que o meu filho estava sendo possuído por espírito. Comecei a bater naquele espírito, longe de pensar que estava a bater no meu filho até que ele morreu”, contou o pai do finado.

A mulher mostrou-se arrependida e reiterou que o objectivo não era matar o filho. “Nós matámos sim o nosso filho, mas não é isso que queríamos. Mas acabou acontecendo o inesperado”.

E porque o crime não compensa, o casal foi apanhado pelas pessoas que vivem próximo à sua machamba, detido pela Polícia e esta diz que deverá ser responsabilizado pelo acto.

Mateus Mindú, porta-voz da Polícia em Manica, contou que o homem e a mulher “não só tiraram a vida do menor em alusão, como também cortaram a sua cabeça”.

Este não é o primeiro caso em Manica de pais que matam filhos para alegadamente serem ricos.

Achou este artigo interessante? Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram para ler mais conteúdo exclusivo que postamos.