Subiu de seis para 10 o número de mortes devido à tempestade “Chalane”, em Manica. As pessoas afectadas também aumentaram de 1.800 para 15.448, segundo o balanço provisório do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

O mau tempo fustigou as províncias de Manica, Sofala e Zambézia, semana passada. As 10 mortes, em Manica, aconteceram por conta do desabamento de casas, afogamento, arrastamento pelas águas da chuva e electrocução.

O INGC aponta ainda para 3.082 pessoas, equivalentes a 15.448 famílias, assoladas pela tempestade “Chalane”.

O fenómeno desalojou ainda 257 famílias em Manica e a maioria vive em cinco centros de acomodação no distrito de Gondola.

No sector da Educação, 6.286 alunos e 118 professores foram afectados em consequência da destruição parcial de 66 salas de aula, diz o INGC.

Na Saúde, 13 unidades sanitárias não foram poupadas pela “Chalane”, que causou igualmente a perda de 84.829 hectares de culturas diversas em Manica.

Achou este artigo interessante? Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram para ler mais conteúdo exclusivo que postamos.