FDS com instruções para continuarem a perseguir terroristas em Cabo Delgado


O ministro da Defesa Nacional, Jaime Neto, diz que as Forças de Defesa e Segurança (FDS) estão com a moral em alta e beneficiam de capacitação técnica e material para perseguir o grupo que tem estado a perpetrar ataques terroristas em alguns distritos da província de Cabo Delgado, desde Outubro de 2017.

Sobre o porto de Mocímboa da Praia, tomado pelos terroristas em Agosto do ano passado, o governante negou que a infra-estrutura esteja nas mãos dos terroristas, sendo que as FDS estão a bater-se para repelir o inimigo da zona portuária. De acordo com o ministro, a força militar moçambicana está a trabalhar no sentido de repelir os insurgentes que chegaram àquele distrito.

Jaime Neto referiu, esta quarta-feira, no distrito de Morrumbala, província da Zambézia, que as FDS estão empenhados em aniquilar os terroristas que semeiam pânico em Cabo Delgado, onde já invadiram distritos como Mocímboa da Praia, Quissanga, Macomia e Muidumbe.

Nos distritos de Palma e Nangade, os terroristas têm estado a atacar aldeias, assassinar pessoas, incendiar casas e destruir infra-estruturas públicas e privadas, além de pilhar bens da população. Informações não confirmadas pelas autoridades indicam que jovens tenham sido raptados para engrossar as fileiras dos terroristas.

Sobre o assunto, o ministro da Defesa Nacional disse que as FDS estão no terreno a perseguir os terroristas para Cabo Delgado viver a paz e tranquilidade que sempre teve, antes dos ataques que iniciaram em 2017.

“Em relação à Cabo Delgado o desafio é enorme. Como sabem o inimigo não tem rosto, mas sabemos que se trata de uma agressão estrangeira”, cujos protagonistas “vêm de vários países africanos que recrutam os nossos jovens, radicalizam para empreender acções contra os moçambicanos e destruir infra-estruturas nos locais por onde passam”, afirmou o ministro.

Para debelar a situação, o governante explicou que as FDS não cessam a sua missão de eliminar o inimigo. “Estamos a efectuar capacitação técnica e material para que a nossa força aprimore” a sua intervenção em relação aos “desafios actuais no combate ao terrorismo. Por várias vezes, o inimigo já ameaçou ocupar” algumas zonas em Cabo Delgado, “mas a intervenção da nossa força tem sido gloriosa em estancar os focos”.

Reconhece que o inimigo penetrou naquele distrito e efectuou as suas incursões de combate dentro para fora de distrito, oque criou condições para se estabelecerem durante muito tempo no distrito.

Jaime Neto falava em Morrumbala, na Zambézia, onde orientou a cerimónia central alusiva ao arranque do recenseamento militar. Prevê-se inscrever 200 mil mancebos de ambos sexos.

O ministro instou os cidadãos que nasceram no ano de 2003 a fazerem-se aos postos já identificados para se inscreverem. Este ano, o recenseamento militar decorre sob o lema “Recenseamento Militar Consolidando a Educação Cívico-patriótica, Garantindo a Participação da Juventude na Defesa da Independência Nacional”.

Achou este artigo interessante? Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram para ler mais conteúdo exclusivo que postamos.