A poluição causada pelo Derramamento de um tanque de combustível pode afetar a grande parte dos moradores da provincia de maputo, diz Regina Charrumar

Foram acidentalmente derramadas perto de 360 mil litros de diesel num rio localizado no extremo sul de Moçambique. Um incidente que levou as autoridades locais a declararem uma situação de "emergência” e levantou preocupações entre ambientalistas e residentes.

O derrame de cerca de 360 mil litros de diesel no rio Umbeluzi deve ser tratado copa seriedade, alerta a ambientalista moçambicana Regina Charrumar.

O desastre ambiental ocorreu ontem, 11, quando um comboio de carga descarrilou, no vizinho Reino de Eswatini, a cerca de um quilómetro da fronteira moçambicana de Goba, província de Maputo.

O rio em causa é fonte de água potável para milhões de habitantes das cidades de Maputo, Matola e Boane, no sul de Moçambique.

A Administração Regional de Águas do Sul (ARA-SUL) desdramatiza a situação e garante que não haverá impacto para os consumidores "porque neste momento, a captação para o consumo está a ser feita numa outra fonte".

Mas a ambientalista Regina Charrumar alerta para a necessidade do assunto ser tratado com toda a seriedade, porque há riscos.

“O combustível vai misturar-se com água e vai impactar de forma negativa em relação à biodiversidade daquele ponto”, diz Charrumar.

Consta que a população da zona do descarrilamento depende da água do rio em causa para o seu consumo e agricultura.

Achou este artigo interessante? Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram para ler mais conteúdo exclusivo que postamos.