Portugal de braços abertos no combate á insurgência no norte de moçambique, o ministro de defesa e segurança de Portugal estima enviar cerca de 60 formadores de forças especiais em abril para auxiliar Moçambique no combate ao terrorismo em cabo delgado.

"O que vamos destacar são formadores para formar fuzileiros e comandos. São militares que têm essas valências, forças especiais. Acredito que seja na ordem dos 60. Ainda não está estabilizado (o número de efetivos) porque ainda há um trabalho de planeamento em curso com as autoridades moçambicanas", afirmou João Gomes Cravinho, em entrevista à agência Lusa.

"Irão, em princípio, para locais diferentes: no sul do país, perto de Maputo, e no centro, mas ainda não está inteiramente decidido", adiantou ainda o responsável pela tutela.

O ministro da Defesa de Portugal já tinha sublinhado a abertura da União Europeia (UE) em apoiar Moçambique. João Gomes Cravinho revelou também que no início de abril já "haverá condições" para começar a formação sobre terrorismo.

Achou este artigo interessante? Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram para ler mais conteúdo exclusivo que postamos.